davi e absalão

Davi e Absalão

Pr Luciano R. Peterlvitz – Missão Batista Vida Nova,

Dia dos Pais – 08/08/2010

Introdução

Era uma vez um jovem guerreiro que, montado sob um jumento, fugia desesperadamente por entre os carvalhais de um bosque. A beleza deste jovem era admirável. Não tinha nenhum defeito, desde a planta dos pés até a cabeça. Mas naquele momento sua beleza era escondida pelo desespero. Atrás dele, corriam os furiosos soldados do rei de Israel, contra o qual o jovem se rebelou. Ele aplicou um “Golpe de Estado” contra o rei e, além disso, planejou matá-lo. Mas seus planos foram frustrados. Apesar de tomar a capital do reino, exigindo o deslocamento do rei para outra cidade, os homens daquele jovem foram derrotados pelo exército do Estado de Israel. E agora, tudo o que o jovem almeja é escapar da morte.

Mas, na corrida desesperada e desorientada, o rebelde enroscou sua cabeça num grande carvalho do bosque. O jumento continuou sua corrida, deixando o jovem pendurado no carvalho. Momentos depois, o guerreiro, batido, foi alcançado pelo general do rei, Joabe, que apanhou três varas, e transpassou o coração do rebelde, que ainda permanecia vivo, agonizando. Outros dez jovens cercaram o grande carvalho, atacaram o jovem estertorado, e finalmente o mataram.

O nome do jovem rebelde era Absalão. O rei de Israel era o seu pai, e chamava-se Davi.

A história de Davi e Absalão compõe um das páginas mais tristes das Escrituras. Trata-se de uma história que infelizmente não teve um final feliz. Essa triste história retrata a relação de muitos pais e filhos.

Davi foi o maior rei de Israel. Era músico; compositor; militar estrategista; guerreiro valente; um homem segundo o coração de Deus. Mas um homem que teve sérios problemas com os filhos, dentre eles, Absalão.

A amarga relação entre Davi e Absalão

Os conflitos entre Davi e Absalão se desenvolvem da seguinte forma:

1) Tudo começou com um caso de incesto. Amom, movido por uma paixão doentia, força sua meia-irmã, Tamar, a se deitar com ele: 2Sm 13. Isso causa indignação em Absalão, irmão de Tamar. Todos esses personagens eram filhos de Davi, mas Absalão e Tamar tinham uma mesma mãe, Maaca (2Sm 3.3), enquanto a mãe de Amom era Ainoã (2Sm 3.2).

Movido pelo ódio, Absalão mata Amom, e foge da presença de Davi.

2) Três anos depois do assassinado de Amom, a pedido de Joabe, general de Davi, Absalão volta a Jerusalém, onde permanece dois anos sem ver a face do pai (2Sm 14.28). Depois disso, pai e filho se encontram, mas de forma muito formal: 1Sm 14.33. Davi é designado pelo texto como “rei”, não como “pai”.

3) Absalão se rebela contra seu pai. Arma um golpe de Estado. A trombeta foi tocada em Hebrom, anunciando que Absalão era o novo rei. Davi se retira de Jerusalém, chorando: 2Sm 15.30. Não chorava porque estava perdendo o reino, mas porque seu filho queria matá-lo.

4) Davi chega em Maanaim, de onde envia suas tropas para guerrearem contra as tropas de Absalão. Mas Davi não somente era rei; ele tinha o coração de pai. Por isso ordena aos seus oficiais: “Por amor de mim, cuide bem do jovem Absalão.” (2Sm 18.5). Mas não foi isso o que aconteceu.

5) Os homens de Davi derrotaram o exército dos rebeldes. Absalão fugiu, montado sobre um jumento, mas enroscou-se num carvalho, onde foi morto pelos homens de Davi.

Agora, um pai lamenta a morte do filho: 2Sm 18.33.

O mesmo clamor de Davi é entoado em muitos lares, hoje.

Entendendo a razão da rebeldia de Absalão

Mas a rebeldia de Absalão tem uma explicação: a frieza de Davi. Este era um pai que amava seu filho: 2Sm 18.5. Mas que não demonstrava esse amor. Vivia distante do seu filho: 2Sm 14.28.

* A história de Lery. Este era um jovem depressivo, com uma baixíssima auto-estima; obeso; rosto coberto de acnes; mau cheiroso; mau vestido; desprezado por todos na Universidade; agnóstico. Desprezado pelo pai. Um dia Lery foi zombado publicamente pelos colegas de trabalho do pai. Chamaram-no de porco feio. O pai presenciou a cena humilhante. Comovido,  disse para Lery: “Se e eu e sua mãe vivêssemos duzentos anos, não seriam suficientes para a agradecer a Deus pela sua vida. Temos muito orgulho de você.” Pela primeira vez, Lery recebeu um abraço do pai. Depois disso, o jovem interessou-se pelo Evangelho. Estudou a Bíblia seis semanas com um dos seus professores, que era pastor. Nos últimos 20 anos Lery ter servido ao Senhor como missionário em um país da América do Sul. Não foram os estudos bíblicos que curaram Lery. Foi o abraço e a atenção do seu pai.

O abismo entre Lery e seu pai era o mesmo abismo que havia entre Davi e Absalão. Mas há esperança para os filhos rebeldes. Há esperança para os pais que erraram. A esperança é o amor. Não existe outra força maior para curar as feridas da alma do que o amor.

Você pode amar seu filho. Mas a questão é como demonstrar seu amor por ele.

Conclusão

A história de Absalão é um alerta aos pais, para que amem e demonstrem seu amor aos filhos, incondicionalmente. Conquistar o coração do filho vale mais do que grandes conquistas materiais ou espirituais.

A história de Absalão é uma ilustração das conseqüências drásticas do filho que não honra seu pai (Ef 6.1-3).

O triste fim da história de Absalão não precisa ser repetido por nossas famílias.

Você é um pai com o coração partido, por causa da rebeldia do filho? Ou você é um filho que não foi compreendido ou aceito pelo pai? Então faça a oração de Davi, que quando perseguido por Absalão, afirmou:

Porém tu, Senhor, és o meu escudo,és a minha glória e o que exaltas a minha cabeça. Com a minha voz clamo ao Senhor, e ele do seu santo monte me responde. Salmo 3.3-4.

Posted in Mensagens, Posts and tagged , , , , , , , , , .